Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | 21/10/2014

Scroll to top

Top

No Comments

WRC: Sebastien Monstro Loeb é eneacampeão do WRC

E faltando dois rallies para o fim da temporada 2012 do WRC, o campeão já foi definido. O francês Sebastien Loeb, pela nona vez, levou o caneco num ano em que tudo pareceu mais fácil para ele. Mikko Hirvonen, na Citroen, não conseguiu andar no ritmo de Loeb e na Ford, Latvala continua se acidentando muito. Petter Solberg, apesar de rápido, não teve fôlego para parar Loeb. Vamos aos relatos do rally da França.

Dia 1

O primeiro dia do Rally da França terminou com o piloto da casa Sebastian Loeb na liderança. Após vencer quatro das oito especiais, o piloto da Citroen encerrou a sexta-feira com 13,1 segundos à frente do finlandês Jari-Matti Latvala da Ford.

Os dois adotaram estratégias diferentes de pneus. Enquanto Loeb alternou entre os quatro compostos duros em algumas especiais e dois duros na frente e dois macios atrás, Latvala foi sempre de quatro macios. Nas especiais que favoreciam a escolha do francês, ele conseguia abrir boa vantagem para o rival. Já nas que favoreciam o finlandês, ele até vencia, mas Loeb se superava e terminava próximo ao concorrente.

Apesar de não fazer um bom rally, o finlandês Mikko Hirvonen (Citroen) conseguiu terminar o dia na terceira colocação, 32,6 segundos atrás de Loeb e apenas 0,7 segundos à frente do norueguês Petter Solberg (Ford). Dani Sordo (Mini) foi o quinto no geral à frente do belga Thierry Neuville (Citroen), que venceu a primeira especial do rally, mas depois de duas rodadas, caiu para sexto.

Dia 2

O segundo dia não começou nada bem para a Ford. Logo na primeira especial, Petter Solberg escapou da pista e bateu forte (vídeo) num poste (que aliás foi ao chão e causou apagão na cidade). Não teve como retornar à competição e Solberg deu adeus ao rally. Na segunda especial foi a vez de Latvala cometer um erro e perder cerca de 18 segundos com relação a Loeb, o que o deixou mais de 30 segundos atrás no geral.

Avesso a tudo isto, Loeb seguia andando forte lá na frente e quando não conseguia ampliar a vantagem, não permitia que o rival descontasse muito. A última especial da parte da manhã foi cancelada devido a aglomeração de público em volta do trajeto, o que acrescentava um risco extra à disputa. Thierry Neuville, estava muito bem na competição, mas levou 20 segundos de penalização por ter se atrasado na largada da 11ª especial.

A parte da tarde começou com Mikko Hirvonen acelerando forte tentando alcançar Latvala, mas o compatriota da Ford também andava em um bom ritmo e os dois empataram na 13ª especial. Os dois andavam no mesmo ritmo, mas na última disputa do dia, Hirvonen acabou batendo numa pedra, achou que tinha furado o pneu e perdeu um pouco de terreno para o rival. Latvala encerrou o dia falando sobre o aprendizado para o futuro, pois estava na briga pela vitória antes do equívoco no início do dia o que o tirou na briga.

Dia 3

O último dia de competição teve apenas um nome: Thierry Neuville. O belga venceu cinco das seis especiais e garantiu a quarta colocação no final do rally. Como no fim ele terminou 23,2 segundos atrás de Mikko Hirvonen, se descontasse os 20 segundos de penalização do dia 2, mesmo assim ele terminaria na quarta colocação.

Dani Sordo, que estava na briga contra Neuville, abandonou na terceira especial do dia e facilitou a vida do belga, que teve que se preocupar apenas com Mads Ostberg. O russo, no entanto, não conseguiu acompanhar o rival e fechou na quinta colocação. Mikko Hirvonen desistiu logo no começo de tentar uma perseguição a Latvala, devido a chuva e ao erro cometido no fim do terceiro dia.

Lá na frente, a chuva também atrapalhou qualquer expectativa de Latvala chegar em Loeb. Era muito arriscado andar um pouco mais forte que o ritmo dos oponentes e Loeb declarou que não iria correr riscos para garantir a vitória, pois ele não precisava necessariamente vencer na França para ser campeão. Porém, seu ritmo normal era similar ao de Latvala e com isto ele garantiu o nono título na categoria com uma diferença de 15,5 segundos.

Brasileiros

Os dois brasileiros na disputa, Daniel Oliveira e Paulo Nobre acabaram não completando o rally. Ambos abandonaram com problema mecânicos. Oliveira e o navegador português Carlos Magalhães saíram na 17ª especial com problemas na suspensão do carro. “Queríamos estar na cerimônia final depois de tanto esforço. No entanto, estamos satisfeitos com a melhora no nosso ritmo e percebemos que com um pouco mais de treino, poderemos ser mais rápidos”. Palmeirinha teve problemas e não completou o rally.

  • Share on Tumblr