Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | 01/11/2014

Scroll to top

Top

One Comment

Fórmula Indy: Hunter-Reay é campeão!

Drama na grande final da Fórmula Indy disputada em Fontana. Will Power e Ryan Hunter-Reay largariam no fim do pelotão e precisariam se manter na pista até o final das 250 voltas para finalmente saber quem seria o campeão da temporada. E essa história não foi nada fácil de ser escrita.

Ambos estavam fazendo seu trabalho direitinho e subiram bastante na corrida. Mas, quando estavam lado a lado, Power tentou uma ultrapassagem, rodou e acabou no muro. Só isso não era o suficiente para Hunter-Reay sagrar-se campeão, ele precisava terminar no sexto lugar.

A Penske iniciou uma grande movimentação em sua garagem e tentava a todo custo trazer o carro de Power de volta para a pista. E conseguiram. O australiano voltou para poucas voltas, mas ganhou mais alguns pontos e Hunter-Reay teria que fechar em quinto para conquistar o título.

Faltando 9 voltas para o fim da prova, o americano vinha em quinto quando Kanaan acertou o muro e a bandeira vermelha foi acionada. A direção de prova optou por paralisar a corrida para que ela terminasse em verde, com disputa na pista. E no fim dessa história, Hunter-Reay se deu melhor e conquistou o seu primeiro título na categoria com uma última volta bem intensa e se vendo atrás de Takuma Sato, que mais uma vez parou no muro.

Confira como foi a grande final:

Na largada da prova, Tony Kanaan assumiu a ponta vindo do terceiro lugar. Na briga do campeonato, Ryan Hunter-Reay estava em 17ú, depois de sair em 16ú e Will Power em 21ú, depois de largar em 13ú. Logo depois, JR Hildebrand voltou para o primeiro lugar e trouxe com ele Marco Andretti, que era o pole. Tony voltou para o terceiro posto, com Barrichello em oitavo, depois de ser o quinto.

Na volta 11, os líderes chegaram em Simona de Silvestro, que era a última colocada, para já deixá-la uma volta atrás. Pouco tempo depois ela foi aos boxes, aparentemente com problemas em seu carro com o fraco motor Lotus, e por lá ficou.

Power conseguiu tirar boa parte da vantagem que Hunter-Reay havia construído e chegou bem atrás dele no 19ú lugar. O americano tinha que fazer muito esforço para conquistar posições e se aproximou bastante do muro, mas conseguiu passar ileso. Outra dupla que se tocou, mas sem maiores consequências foi Castroneves e Dixon. As paradas nos pits começaram com Andretti e sob bandeira verde. Na sequência, a maioria dos pilotos também entrou para realizarem seus trocas de pneus e reabastecimento.

A prova vinha bem tranquila e Hunter-Reay e Power continuavam bem próximos na briga por posições. Só que na volta 53, Power mudou um pouco seu traçado, acabou rodando e foi direto ao muro. Primeira amarela da noite e Hunter-Reay escapou ileso do choque por praticamente 1 segundo. Nesse momento, o americano ainda tinha que chegar na sexta posição para poder comemorar o título do campeonato.

Bandeira verde, vários pilotos aproveitaram para parar pela segunda vez, e a briga pela liderança da prova pegava fogo com Carpenter e Hildebrand trocando posições a todo momento. Até que o carro de Hildebrand ficou lento, ele conseguiu chegar aos pits para recolher e tivemos a segunda amarela da corrida. Nesse momento, Hunter-Reay já era o sétimo colocado, e Power dava uma entrevista para a imprensa lamentando muito o acontecido, sem saber direito o que casou a batida e obviamente muito decepcionado.

E, por incrível que pareça, durante a bandeira tivemos um acidente. Isso mesmo, o pelotão mais do final acabou se embolando e Justin Wilson e Katherine Legge se tocaram. A inglesa foi aos boxes trocar o bico do seu carro e Wilson abandonou, emendando uma terceira amarela mesmo sem terminar a segunda. O piloto disse em entrevista que todos estavam freando menos ela e, com o toque, teve problemas na sua caixa de câmbio e foi obrigado a deixar a corrida.

Voltamos à prova e Hunter-Reay subia um pouco mais até chegar no quarto lugar. Porém, seu carro teve uma queda de rendimento, possivelmente por desgaste nos pneus, e ele ficou na sétima posição. A terceira bandeira não demorou muito a surgir e foi com Rubens Barrichello. O brasileiro ficou lento, encostou e saiu do carro com um pouco de fogo na traseira. E lá foram todos para uma nova parada.

Enquanto isso, na garagem da Penske, os mecânicos mexiam demais no carro de Power e o piloto saiu correndo para o espaço da equipe. Será que ele voltaria para a pista? Sim, de macacão, capacete e equipamento completo, Power voltou para a prova de Fontana na volta 124, mas na 142 ele abandonou pela segunda vez após passagens pelos boxes e, sem dúvida, muito esforço em se manter na prova. Porém, valeu a pena arriscar, pois Power conquistou mais alguns pontos ultrapassando Viso, que também havia saído. Com isso, a pressão para cima de Ryan Hunter-Reay aumentou ainda mais, com o piloto precisando o quinto lugar para chegar ao título.

Na liderança, Kanaan ia para os boxes em bandeira verde num trabalho bem tranquilo da equipe KV e Castroneves assumia a liderança momentânea. Na sequência, Tony voltou para o primeiro posto, à frente de Dixon, e o dois se separaram um pouco de Castroneves, que vinha no terceiro lugar.

Mais problemas para o Team Penske, com Briscoe batendo, indo aos pits e ficando por lá para reparos no carro durante um bom tempo. Mais uma amarela e boa parte dos pilotos indo aos pits. Na relargada, Dixon pulou para a liderança seguido de Franchitti e Hunter-Reay era o sexto colocado.

Tagliani assumiu o primeiro posto e parecia dominar a prova até ele ter que ir para o muro e ter de recolher nos pits. Com isso, mais uma amarela e Hunter-Reay vinha no quinto lugar, conquistando assim o título. Na relargada, Kanaan ameaçava o americano, mas ele veio muito forte e pulou direto para quarto. Faltando apenas 9 voltas para o final da prova, Kanaan foi para o muro e a direção de prova resolveu acionar a bandeira vermelha para que a temporada fosse encerrada em verde. Michael Andretti declarou em entrevista que estavam mudando o regulamento no meio da prova e que eles iam continuar fazendo seu trabalho na pista.

Uma volta com o carro de segurança e bandeira verde! Muita emoção, já que Hunter-Reay estava ao lado de ninguém menos que Takuma Sato e a tensão era grande. O americano conseguiu se sustentar muito bem e, na última volta, o japonês foi para o muro e o americano saiu ileso para o título. A vitória da prova ficou com Ed Carpenter, após grande disputa com Dario Franchitti.

  • Share on Tumblr
  • Flavio

    Will Power o piloto mas burro de todos será sempre vice-campeão