Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | 26/10/2014

Scroll to top

Top

No Comments

Fórmula Indy: A redenção de Fontana

Fórmula Indy: A redenção de Fontana
Jorge Pezzolo

Bem amigos do Velocidade. Chegamos ao fim de mais uma temporada de Fórmula Indy e conseguimos cobri-la inteira aqui no Velocidade, com curiosidades e opiniões na nossa coluna de sexta feira. Chegamos a uma final com tons épicos: prova em oval, 500 milhas e Will Power e Ryan Hunter-Reay em uma corrida decisiva para suas carreiras. Vamos aos destaques da prova que passa AO VIVO sábado à noite na Band.

– Como nada na Indy é simples, a prova já começou com uma polêmica: Mike Conway chegou no autódromo, testou o carro e… desistiu de correr. Conway pediu desculpa aos seus fãs, mas disse que não se sentia confortável para a etapa em oval. Tenso.

– Há quem diga que as duas pancadas em Indianápolis, uma este ano, influenciaram a decisão de Conway. Eu também não fiquei confortável com a decisão dele: será que achou que não era uma prova segura? Mesmo depois de Texas e Indy, ainda temos dúvidas sobre o Dallara DW12 em ovais? Sábado teremos a resposta.

– O substituto de Conway? Wade Cunningham. Sim, ele mesmo, um dos envolvidos na confusão de Las Vegas ano passado…

– E que corrida para Will Power! Mais uma vez, ele chega para uma final em oval na disputa do título. Em 2010 e 2011, foi contra Dario Franchitti, mas em 2010 ele foi tão mal na prova em Homestead que bateu sozinho e entregou o título para Franchitti, que era o azarão.

– Em 2011, o drama começou no oval de Kentucky, a penúltima prova que ele andou mal de novo, bateu com Ana Beatriz (erro da Bia) e aí chegou em Vegas na condição de azarão. Vinha lá atrás no começo da prova e não conseguiu desviar do Big One que vitimou Wheldon. Perdeu o campeonato, mas quem viu o acidente pode considerar Will um vencedor.

– Muitos achavam que Power não seria mais competitivo como antes, mas um ano depois ele volta a mesma situação, de novo como favorito. Se vencer, continua em crescimento na carreira, mas se perder, o tri vice vai pesar para sempre.

– Já para a Penske, a mesma situação ocorreu também em 2009 com Ryan Briscoe. Um tetra vice com dois contratos vencendo é certeza que Roger Penske vai pedir cabeças na sua equipe. Helio Castroneves e Ryan Briscoe vão ter que marcar Ryan Hunter-Reay homem a homem.

– Para Hunter-Reay a situação é mais difícil. O americano precisa vencer, conquistar a pole e liderar a maioria das voltas, além de torcer para que Power não consiga nada melhor que uma terceira colocação. Apesar de difícil, o cenário não é improvável. Das quatro provas disputadas em circuito oval, Hunter-Reay venceu duas, enquanto o melhor resultado de Power nesse tipo de traçado foi um oitavo lugar, no GP do Texas.

– Mas quem é Hunter-Reay? De piloto de fundão da IndyCar e Champ Car, se tornou uma estrela graças a uma boa temporada na Rahal Letterman, indo para a Andretti em 2010. Foi a cada ano melhorando e agora se torna um nome forte da Indy. Até nos circuitos mistos, que não era seu forte, melhorou e venceu. Ganhou em Baltimore em uma relargada que fez Roger Penske arrancar seus poucos fios de cabelo. Irá além de um vice campeonato?

– E não posso deixar passar duas memórias para os fanáticos por Fórmula Indy: Gonzalo Rodriguez, a quem fizemos uma homenagem na pezzolo TV e, falando de Fontana, Greg Moore. Nunca esqueceremos dos nossos heróis.

– Vamos aos vídeos de esquenta da corrida? Que tal esse de Fontana na Indy Lights em 1997, da decisão de campeonato entre Helio Castroneves e Tony Kanaan, que deu o título ao baiano por poucos pontos?

– E não é Fontana, mas é final da Fórmula Indy em 2007, a melhor dos últimos anos. Prova que tudo pode acontecer sábado à noite, tudo mesmo. Boa corrida para todos nós!

  • Share on Tumblr