Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | 01/11/2014

Scroll to top

Top

No Comments

Sertões: (Não) Tinha uma ponte no meio do caminho

Sertões: (Não) Tinha uma ponte no meio do caminho

Depois do caos que foi o primeiro dia do Rally dos Sertões, quando o alto nível dos rios a serem atravessados provocou uma atolação coletiva e com isto, algumas categorias tiveram a especial reduzida e outras nem aconteceram, os problemas voltaram a marcar o segundo dia.

Os caminhões tiveram uma especial menor que a planejada (em vez de 148km, apenas 83), porque uma ponte acabou caindo com a passagem dos veículos das outras categorias. E os problemas não ficaram por aí, pois antes de chegarem ao trecho da ponte, um cajueiro havia caído no meio do trajeto depois de ser acertado pelo caminhão do trio Barrasa, César Botas e Raphael Bettoni e com isto os competidores que vinham a seguir tiveram bastante dor de cabeça para desviar, principalmente o do trio André Azevedo, Ronaldo Pinto e Maykel Justo, que caíram numa vala.

Nas outras categorias, foi um dia normal. Nas motos a vitória ficou com Dario Julio Souza, com o tempo de 2h13min02s1. No geral, no entanto, Felipe Zanol continua na frente, pois ele foi o segundo colocado nesta segunda-feira. “Hoje a especial foi um pouco mais tranquila do que ontem. O começo teve bastante areia, mas a parte da navegação por GPS foi muito legal, pois não havia estradas – somente dunas – e assim pude andar bem rápido”, declarou Dario Souza.

Nos quadriciclos deu Tom Rosa, que colocou cerca de seis minutos de vantagem para cima de Bento da Silva. “Hoje foi ótimo, um trecho de muita areia, o que demanda muito mais força do motor, e por isso consome muito combustível. No momento, é o que me preocupa um pouco”, afirmou o cearense Tom Rosa. Já nos UTVs, a dupla Jaison Oliveira e Marcos Lara foram os mais rápidos, com 2h46min09s9.

Nos carros, o francês Stéphane Peterhansel, que tem como navegador o compatriota Jean-Paul Cottret, começou a mostrar porque é um dos reis do rally mundial. Ele faturou a especial marcando o tempo de 2h12min25s7. “Tivemos uma especial mais rápida que a de ontem, novamente com muita areia e dunas. Foram trechos muito legais e bem difíceis de andar”, destacou o francês. Entretanto, no geral, a liderança continua nas mãos de Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, que foram os segundos na especial, chegando 1m58s atrás do francês. “O importante é conseguirmos andar em um ritmo bom. O carro está perfeito, navegação e pilotagem super entrosadas e estamos satisfeitos com o dia de hoje. Agora é nos prepararmos para amanhã que, certamente, vai apresentar algumas novidades a mais em função da etapa maratona, pois não teremos nossa equipe que revisa o carro e nos dá a tranquilidade para o dia seguinte”, disse Guilherme Spinelli.

Nesta terça-feira os pilotos disputam a maratona, onde é proibido qualquer tipo de manutenção externa vinda de qualquer pessoa que não seja piloto ou navegador dos veículos. Serão 149 km de especial entre Bacabal (MA) e Barra do Corda (MA).

  • Share on Tumblr