Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | 30/10/2014

Scroll to top

Top

No Comments

Sertões: Especial dos 20 anos foi bem trabalhosa para os pilotos

Sertões: Especial dos 20 anos foi bem trabalhosa para os pilotos

A edição 2012 do Rally dos Sertões vai chegando ao fim e as disputas vão ficando cada vez mais acirrada. Neste domingo foi disputada a antepenúltima especial da competição, batizada de â?????Especial dos 20 anosâ????? no trecho de 335 km entre as cidades de Bom Jesus (PI) a Petrolina (PE). Nesta segunda-feira serão 143 km cronometrados entre as cidade de Petrolina (PE) e Iguatu (CE).

Nas motos, nenhuma surpresa com mais uma vitória de Felipe Zanol. Para se der uma ideia do nível de competitividade, após um trecho tão longo cronometrado, apenas dois minutos o separou do segundo colocado, Nielsen Bueno. No geral, Zanol já conta que uma margem maior, de cerca de 21 minutos para Dário Júlio, que foi o terceiro colocado no dia. â?????Quem achou que o rali ficaria mais fácil depois do deserto do Jalapão, se enganou. A organização colocou uma especial bem difícil. Já estamos na reta final e agora é manter a concentração para chegar em Fortaleza com um ótimo resultadoâ???, destaca Zanol.

Carlo Collet e Eduardo Shiga colocaram um fim da sequência de vitória da dupla Bruno Sperancini e Thiago Vargas, que se sustentam na frente no geral, mas que neste domingo foram superados. Collet, que é pentacampeão dos sertões nos quadriciclos, está se arriscando nos UTVs este ano e disse que tá gostando. “O UTV é extremamente prazeroso na pilotagem e cansa menos que o quadriciclo”, afirmou o piloto. “Quando você pensa que já viu de tudo neste rali e que por estar na reta final os percursos serão menos difíceis, eis que entra uma etapa onde mais uma vez, somos obrigados a superar nossos próprios limites”, declarou Sperancini.

E já que o assunto é vencedores sendo superados, nos quadriciclos a história não foi diferente. Ernesto Jun Watashi foi o mais rápidos nos 335 km e completou o percurso com o tempo de 5h34min20s. Marcelo Medeiros, que é o vencedor em questão, foi o segundo mais rápido com o tempo de 5h36min35s. No geral, a vantagem de Medeiros para o segundo colocado, Paulo Roberto Kitagawa, que foi apenas o quinto neste domingo, é de incríveis 07h22min19s e Medeiros já pode se dar ao direito de poupar, talvez o que explica a não vitória desta especial.

Para contrarias os UTVs e os quadriciclos, nos carros ninguém para a dupla Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret. Foi a terceira vitória consecutiva deles que lideram com tranquilidade a competição. E para complicar um pouco mais a vida dos segundos colocados, Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, eles foram apenas os terceiros do dia, atrás ainda de Riamburgo Ximenez e Flávio França. “Fomos em um ritmo bem conservador, sem assumir nenhum tipo de risco”, ressalta o piloto Guilherme Spinelli. “Acredito que a partir de agora a melhor estratégia para os dois dias finais seja administrar a vantagem sem forçar demais, pois não sabemos como será o caminho até Fortaleza”, disse Peterhansel.

Nos caminhões, nos pesados, Edu Piano, Solon Mendes e Carlos Sales acabaram enfrentando problemas na especial e acabaram sendo superados por Guido Salvini, Flávio Bisi e Fernando Chwaigert. “O cardan dianteiro quebrou em um trecho estreito e não foi mais possível continuar”, explicou o tetracampeão na categoria Piano. Nos leves, Carlos Policarpo, Romulo Seccomandi e Davi Fonseca venceram pelo segundo dia consecutivo e e seguem na liderança. “Vencemos mais uma etapa, mas o rali só termina em Fortaleza, então vamos administrando esta vantagem”, diz o piloto Policarpo. “A estratégia e o equilíbrio também serão fundamentais agora”, afirma o navegador Seccomandi.

  • Share on Tumblr