Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | July 11, 2014

Voltar para o topo

Topo

Sem comentários

Fórmula Indy: Bom dia Baltimore

Jorge Pezzolo

Bom dia Baltimore, hoje o dia nasceu melhoooor … essa é uma das principais trilhas do musical Hairspray, mas poderia ser ensaiada e cantada por toda a equipe da Fórmula Indy depois desta sexta-feira de treinos no circuito de rua americano. Ano passado, na véspera do início dos treinos para a corrida, colocaram uma chicane no início da grande reta para retirar velocidade dos carros na passagem da linha de trem que cruza a pista. Esse ano, resolveram correr sem a chicane. Resultado:

Sim, Rubens Barrichello vem reclamando no seu twitter desde que chegou na pista que era impraticável correr com aqueles trilhos no meio. Mas foi o rookie of the year Simon Pagenaud o primeiro a sofrer com os bumps. O treino foi interrompido, os pilotos foram finalmente ouvidos e resultado: vão voltar com a chicane, que tira boa parte do charme da pista que foi projetada sem ela.

Helinho não poupou palavras: “Eles fizeram um bom trabalho em outros lugares ao redor do circuito, mas, infelizmente, a mudança que nós pedimos não. ????? uma vergonha”, disse ele ao Speed. “A maneira como as condições estão, algo ruim vai acontecer.” Na Indy Lights, tivemos um treino de cinco minutos e um piloto machucado, antes de pararem o treino.

O grande problema é que nada disso de Baltimore é novo. Apesar de a corrida ter sido um sucesso, a pista é muito perigosa e a organização é falha. Em 2011, tivemos de tudo: além das chicanes, Graham Rahal quase bateu em um carro de serviço e o terrível acidente entre Helio e Tony no qual um fiscal estava dentro da pista, conforme postamos na Pezzolo TV. Parece que tudo piorou de um ano para cá e, se a Fórmula Indy não agir rápido, a corrida pode ser bem prejudicada. Sem contar a reta oposta e a curva seis, uma quina no qual eles desviam a mais de 200 mph. Tenso.

Mas tem coisas bacanas acontecendo no fim de semana. Quem quer que tudo corra bem para andar o máximo possível é Bruno Junqueira. O piloto mineiro faz seu retorno à IndyCar substituindo Josef Newgarden no carro 67. Bruno é um piloto que sempre anda bem na Indy, mas sofre com a falta de oportunidades. Batemos um papo com ele no vídeo abaixo quando ele correu as 500 milhas de Indianápolis em 2010, classificou o carro, mas abriu mão para Tagliani. Em 2011, teve que fazer o mesmo com Rayn Hunter-Reay. Boa sorte Bruno!

Aos 6:00 do vídeo.

  • Share on Tumblr