Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | 27/11/2014

Scroll to top

Top

2 Comments

Opinião F1 Paddock Press: Marcha Húngara

Ricardo Arcuri

Hungaroring é um circuito que não dá descanso. Suas curtas retas e a eterna variância nas curvas o tornam um circuito de baixa velocidade média, poucos pontos de ultrapassagem e alto desgaste físico dos pilotos. Como Bruno Senna falou, é um dos mais desgastantes da temporada e ainda se soma o frequente calor da estação.

Sua primeira aparição no mundial de F-1 foi em 1986, simbolizando uma abertura do leste europeu ao capitalismo e sinalizando o enfraquecimento do bloco comunista. Nesse ano protagonizou uma famosa disputa entre Piquet e Senna, que viria a se tornar uma das maiores ultrapassagens de todos os tempos – na opinião deste colunista, não é a maior de todos os tempos como alguns veículos de comunicação pregam, mas está no meu Top 5, sem dúvida – especialmente causado pela curta reta dos boxes.

Excetuando essa primeira edição, é conhecida por formar procissões na pista, exatamente no comportamento do circuito de rua. Em compensação, nas duas vezes em que choveu, proporcionou algumas das melhores corridas de suas temporadas e as duas foram vencidas por Jenson Button. O que vimos ontem foi uma típica corrida em pista seca, com poucas ultrapassagens. O que me surpreendeu é que, ainda assim, foi movimentada.

Na qualificação, Lewis Hamilton foi soberano. Deixou a entender que tinha um pouco mais para queimar, se precisasse. Porém, o que vimos na prova foi fora deste prognóstico. Sim, Lewis liderou de ponta à ponta, mas ele nunca conseguiu abrir mais que 4 segundos do segundo colocado. Correu com o carro na ponta dos dedos, especialmente no fim da prova, com Kimi Raikkonen colado na gola. Venceu e teve como companheiros de pódio os dois pilotos da Lotus, que vem se mostrando constante. Não tão rápida quanto as equipes da frente, mas mais na zona de pontos.

O líder Alonso acabou por fazer uma corrida burocrática, mas suficiente para garantir pontos importantes para sua investida rumo ao tricampeonato. O companheiro Felipe Massa, pelo mesmo motivo, perdeu posições na largada e se manteve onde ficou. Não podemos culpar os pilotos, apenas o carro não se mostrou forte no traçado. Coisas de corridas.

Excelente prova de Bruno Senna. Apesar dos resultados dos treinos livres não se converterem iguais na corrida, chegou ao Q3. Largou bem, manteve-se rápido na medida do possível, segurou carros mais rápidos e conseguiu um ótimo sétimo lugar. Pontuou 6 vezes nesta temporada, contra duas de Maldonado, que continua em evidência por uma delas ter sido uma vitória. Honestamente, acho difícil que se mantenha na Williams, mas está trabalhando para, pelo menos, se manter na categoria (isso será assunto para outra coluna).

Falando em Maldonado ainda: os colegas por aí continuam reclamando de terem punido o venezuelano, que a FIA está exagerando e etc., mas suas atitudes beiram a maldade. Tudo bem deixar o carro até a zebra e tirar o espaço do ultrapassado. Agora, jogar o carro e tocar no adversário é forçar a barra demais. Corridas de fórmula não permitem toques, devido a fragilidade dos carros. Já havia forçado o abandono de Perez na Inglaterra e agora mais esse toque em Di Resta. ????? sua 6ê punição na temporada e, por estar sob observação, virou carta marcada e será punido toda vez que causar um toque em outro piloto. Se não esfriar a cabeça, pode nem ser inscrito na próxima temporada. E se quer correr dando toquinhos, que vá para a Nascar.

  • Share on Tumblr
  • http://www.facebook.com/pezzolo Jorge Pezzolo

    Não achei a corrida chata, embora tenha visto bem por cima. A Formula 1 atual virou um “xadrez” dos pneus, e Kimi Raikkonen e Grosjean perderam a corrida nas voltas presas atrás de Alonso no 1o e 2o stint. A Lotus está correta ao jogar nos dois a culpa por não ter vitórias, pois o carro é muito superior aos outros em pistas quentes.

    Quanto ao Maldonado, apesar de achar um dos melhores pilotos da formula 1 atual, está perdido depois da vitória, e a manobra com Di Resta foi até uma “afronta” a FIA que deve ter advertido ele que sua conduta na pista está perigosa. ????? só ver como Bruno melhorou depois da advertência em Valência.

    Essa minha visão, parabéns pela coluna

  • http://www.facebook.com/people/James-Stuart/100002703097780 James Stuart

    Galera, para os fãs da F1, voltou uma promoção bem bacana do banco Santander! ????? só fazer um video pra concorrer a uma viagem aos USA pra ver a grande final de F1! Não dá pra perder…. http://www.youtube.com/formulasantander