Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Velocidade | 25/10/2014

Scroll to top

Top

One Comment

Diário de Bordo: #Fuerzamaria

Larissa Leite


Era para ser apenas um treino comum, era apenas um para desenvolver o pacote aerodinâmico, era a primeira vez dela com o time. Era para ser mais um dia de trabalho. Não foi nada assim. Uma volta e o fim de uma carreira.

A primeira notícia que li sobre o acidente de Maria de Villota dizia assim: piloto de teste da Marussia bate em caminhão. O ponto final daquela frase causou um enorme estranhamento, como seria possível um carroà se chocar contra o caminhão do próprio time durante um treino?

Até agora, sabemos o que aconteceu pelo testemunho de Chris Mann, apresentador da rádio BBC, ele estava no local e disse que ela voltou para área que estavam os engenheiros, reduziu a velocidade, e de forma inexplicável acelerou, passou pela multidão e acertou o caminhão.àEla não se mexeu por quinze minutos, todos ficaram muito chocados. No mundo das especulações, uma das teorias é que o acidente tenha sido causado pela inexperiência de Maria com o sistema anti-stall.

Uma ambulância foi chamada e piloto seguiu para hospital para um atendimento mais especializado, a partir daí tínhamos notícias quanto a gravidade e que Maria estava consciente, o que parecia um alívio dentro do quatro. A Marussia já está investigando as causas do acidente, Carlos Garcia, presidente da Federação Espanhola de Automobilismo, disse que espera que a FIA e o time possam esclarecer o que aconteceu, e claro, deseja uma recuperação rápida para a piloto. Apesar dos ferimentos, ela conseguiu falar com a família por telefone.

Nesta quarta, a espanhola foi submetida a mais uma cirurgia no crânio, e infelizmente foi confirmada a perda da visão do olho direito. Fim de uma carreira, e o início de muitas reflexões. Não pode ser diferente. O que causou o acidente? O que pode ser feito para evitar? Luca Budel aponta aà falta segurança para a realização do teste em Duxford, além do caminhão, ele lembra que tinha um avião na pista.

Alguns discutem a falta de preparo da piloto, outros entram na questão de gênero, esse é o debate mais delicado, pois quantos se escondem no anonimato da Internet para espalhar o preconceito, para que pensa assim, que tal elevar o nível da conversa? Por que não espiar o currículo da Maria? Com formação universitária, com pódio na F3 espanhola, a embaixadora contra violência contra mulher…. Feitos sim, dentro e fora dos autódromos.

Aqui fica a torcida #FuerzaMaria #AnimoMaria

  • Share on Tumblr
  • Antonio Vieira

    Uma pena. Não acredito que seja falta de experiência, ano passado ela pilotou uma Lotus…

    Em times pequenos fica mais provavel uma falha no carro…